646
Views
Open Access Peer-Reviewed
Artigo Original

Prevalence of urinary incontinence in elderly in Porto Alegre-RS

Prevalencia da incontinencia urinaria em idosos de Porto Alegre-RS

Luís Henrique Telles da Rosaa; Cislaine Machado de Souzab; Caroline Helena Lazzarotto de Limac; Elenice da Silveira Bissigo Boggiod; Fernanda Cecília dos Santose; Cristiane Carbonif; Kalina Durigon Kellerg; Patrícia da Silva Klahrh; Patricia Viana da Rosai

ABSTRACT

OBJECTIVE: The study objective was to assess the prevalence of urinary incontinence (UI) in the elderly population of Porto Alegre-RS, as well as its impact on quality of life of these individuals.
METHODOLOGY: The sample consisted of 401 individuals, with over 65 years of age, of both genders, resident for at least 12 months in the neighborhood. Data collection was performed by applying the International Continence Consultation on Questionnaire - Short Form (ICIQ-SF) during a home visit.
RESULTS: The prevalence of UI found in the population was 32.2%. Regarding gender, 37.9% of incontinent women showed up to 15.5% of men. The most prevalent types of UI were urgency (18%) and stress (16%). There is a significant association between the presence of UI and advancing age (r = 0.183, p <0.001), age and interference in daily life (r = 0.101, p = 0.044) and age and the decline in quality of life (r = 0.117, p = 0.02). The ICIQ-SF score demonstrated negative impact on quality of life of elderly patients with UI.
CONCLUSION: We observed a higher prevalence of UI among women in all age groups. The UI of urgency and stress were the most prevalent. The ICIQ-SF indicated significant negative interference of urinary incontinence on quality of life of the elderly, especially in the age group of 90 to 99 years old. The prevalence of UI interfered significantly in the frequency of losses, in the performance of daily activities and poorer quality of life of the aged.

Keywords: Elderly. Urinary Incontinence. Quality of life

RESUMO

OBJETIVO: O objetivo do estudo foi avaliar a prevalência da incontinência urinária (IU) e seu impacto na qualidade de vida na população idosa de um bairro de Porto Alegre (Rio Grande do Sul).
METODOLOGIA: A amostra foi composta por 401 indivíduos, com idade superior a 65 anos, de ambos os sexos, residentes há pelo menos 12 meses no bairro. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação do International Consultation on Continence Questionnaire - Short Form (ICIQ-SF), durante uma visita domiciliar.
RESULTADOS: A prevalência de IU encontrada na população foi de 32,2%. Em relação ao gênero, 37,9% das mulheres apresentaram-se incontinentes; nos homens, o percentual foi de 15,5%. Os tipos de IU mais prevalentes foram de urgência (18%) e de esforço (16%). Existe uma associação significativa entre a presença de IU e o avanço da idade (r = 0,183; p < 0,001), idade e a interferência na vida diária (r = 0,101; p = 0,044) e idade e a piora na qualidade de vida (r = 0,117; p = 0,02). O ICIQ-SF demonstrou impacto negativo na qualidade de vida dos idosos com IU.
CONCLUSÃO: Observou-se maior prevalência de IU entre mulheres em todas as faixas etárias. A IU de urgência e a de esforço foram as mais prevalentes. O ICIQ-SF indicou interferência negativa significativa da IU na qualidade de vida dos idosos, sobretudo na faixa etária dos 90 aos 99 anos. A prevalência de IU interferiu de maneira significativa na frequência das perdas, na realização das atividades de vida diária e na piora da qualidade de vida dos idosos estudados.

Palavras-chave: Idosos. Incontinência urinária. Qualidade de vida.


THE CONTENT OF THIS ARTICLE IS NOT AVAILABLE FOR THIS LANGUAGE.


© 2019 All rights reserved